Fale Connosco

+351 255 214 495

Registo

O Ouro Está a Migrar do Ocidente para o Oriente

Segundo a Bloomberg, muitos investidores ocidentais – particularmente no nível institucional – estão a despejar barras de ouro. Enquanto isso, os compradores asiáticos estão a aproveitar os preços mais baixos para comprar joias, moedas e barras.

 

De acordo com a Bloomberg, “grandes volumes do metal estão a ser retirados de cofres em centros financeiros como Nova York e indo para o oriente para atender à demanda no mercado de ouro de Xangai ou no Grande Bazar de Istambul”.

 

Os fornecedores asiáticos estão a ter dificuldades em obter ouro suficiente nos mercados asiáticos. Como resultado, houve um aumento significativo dos prémios em muitos países asiáticos. A média do prémio de setembro na China atingiu o nível mensal mais alto em quase seis anos.

 

Os cofres de Nova York e Londres relataram um êxodo de mais de 527 toneladas de ouro desde o final de abril, segundo dados do CME Group e da London Bullion Market Association. Ao mesmo tempo, as importações de ouro para a China atingiram uma alta de quatro anos em agosto.

 

Índia, Turquia, Tailândia e Arábia Saudita também relataram aumento das importações de ouro.

 

Figura 1 – A Ásia teve uma Importação Líquida de Ouro do Ocidente desde Abril

Country (País); Trade Flow (Fluxo Comercial); Tons (Toneladas).

Fonte: Swiss Federal Customs Administration.

 

Há também uma demanda crescente por prata nos mercados asiáticos, particularmente na Índia. O prémio em prata triplicou nos últimos meses.

 

Além disto, os bancos centrais em todo o mundo têm sido compradores líquidos de ouro há cinco meses consecutivos e todas as grandes compras foram de bancos centrais do Oriente.

 

A Turquia adicionou mais ouro às suas reservas em 2022 até o momento do que qualquer outro país. Com uma compra de 8.9 toneladas em agosto, a Turquia aumentou suas reservas de ouro em 84 toneladas nos primeiros oito meses do ano. A Turquia agora detém 478 toneladas de ouro (detidas pelo banco central e pelo Tesouro), o nível mais alto desde o 2º trimestre de 2020.

 

O Reserve Bank of India – RBI (o banco central da Índia) também foi um grande comprador em 2022. Suas reservas totais de ouro agora são de 782.7 toneladas, classificando a Índia como o 9º país com maiores reservas de ouro do mundo. Desde que retomou as compras do metal no final de 2017, o RBI comprou mais de 200 toneladas de ouro. Em agosto de 2020, houve relatos de que o RBI estava a considerar aumentar significativamente suas reservas de ouro.

 

Outros grandes compradores de ouro em 2022 incluem Cazaquistão, Uzbequistão, Catar e Iraque.

 

No Oriente, muitas pessoas usam o ouro como sua principal forma de poupança e preservação de riqueza. Segundo um artigo publicado pela Seeking Alpha:

 

“Para milhões de pessoas na Ásia, o ouro ainda é a ‘forma básica de poupança’, ao contrário do Ocidente, onde a financeirização começou décadas atrás e o ouro foi lentamente removido do cotidiano das pessoas. No Ocidente, as pessoas possuem pouco ou nenhum ouro físico quando se sentem financeiramente confiantes. As pessoas no Oriente mantiveram uma visão de longo prazo em relação ao ouro. Seus ancestrais economizaram em ouro e assim foram ensinados. [Têm a noção] de que, em última análise, o ouro não perde seu poder de compra.”

 

Assim, enquanto os investidores no Ocidente estão a livrar-se do ouro à medida que o preço cai, os investidores no Oriente estão a aproveitar os preços relativamente baixo à medida que as moedas fiduciárias desses países perdem valor e os preços aumentam.

 

Um dos motivos pelos quais os investidores no Ocidente estejam a livrar-se de suas posses de ouro é que os principais bancos centrais estão a aumentar os juros e parando de expandir seus balanços para conter a taxa de inflação de preços (que é culpa dos próprios governos e dos bancos centrais). E o aumento da taxa de juros aumenta o custo de oportunidade de ter ouro, já que as taxas de juro reais aumentam (apesar de ainda estrem negativas em muitos dos países ocidentais, como os EUA e os da zona euro). A maioria dos investidores crê que os bancos centrais serão capazes de fazer isto sem gerar uma recessão económica e/ou crise financeira. Porém, assim como o banco central dos EUA e o Banco Central Europeu, os outros bancos centrais do Ocidente não podem fazer isto. O Banco Central do Reino Unido já voltou a expandir seu balanço para impedir o colapso dos fundos de pensões (que estavam alavancados justamente devido a anos de expansão do balanço do banco central e taxas de juro artificialmente baixas, que são fatores que incentivam a alavancagem em todo o mercado financeiro). É provável que os outros bancos centrais do Ocidente façam o mesmo eventualmente e, portanto, estes investidores ocidentais estão a precipitar-se ao livrarem-se do ouro.

 

 

André Marques 

Etiquetas :

Sem categoria

Partilhar :

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *