Fale Connosco

+351 255 214 495

Registo

Demanda de Ouro Teve um Aumento Anual de 28% no 3º Trimestre de 2022

Segundo o World Gold Council (WGC), a demanda por ouro (excluindo o mercado over-the-counter – OTC, um mercado no qual os participantes negociam ações, commodities, moedas ou outros instrumentos diretamente sem uma bolsa ou corretor central, veja detalhes aqui e aqui) no 3º trimestre de 2022 teve um aumento anual (em relação ao 3º trimestre de 2021) de 28%, atingindo 1181 toneladas neste período.

 

Do início do ano até agora, a demanda aumentou 18% em relação ao mesmo período de 2021, retornando ao nível anterior à pandemia:

 

Verde Escuro (Tecnologia); Verde Claro (Fabricação de Joias); Roxo Escuro (ETF’s e Produtos Similares); Roxo Claro (Barras e Moedas); Rosa (Bancos Centrais e Outras Instituições); Tonnes (Toneladas).

Fonte: WGC.

 

O consumo de joias atingiu o valor robusto de 523 toneladas no 3º trimestre de 2022, um aumento de 10% em relação ao 3º trimestre de 2021, apesar da deterioração do cenário económico global. A demanda total no ano de 2022 está em 1454 toneladas (+2% em relação ao mesmo período de 2021).

 

A Índia gerou grande parte da recuperação global do setor de joias. Os consumidores urbanos foram o motor da demanda indiana no 3º trimestre, incentivados por um retorno aos níveis de atividade económica pré-pandemia. Os consumidores rurais foram mais cautelosos, pois sua inflação de preços ultrapassou a de seus equivalentes urbanos.

 

A demanda por ouro de investimento (excluindo OTC) no 3º trimestre de 2022 foi de 124 toneladas (47% menor em relação ao mesmo trimestre do ano anterior). Segundo o WGC, o crescimento de 36% no investimento em barras e moedas (para 351 toneladas) foi insuficiente para compensar o fluxo de saída de 227 toneladas nos ETF’s. A demanda OTC contraiu significativamente durante o trimestre, refletindo o fraco sentimento dos investidores em ETF’s e mercados futuros. Os bancos centrais estão a aumentar os juros para, supostamente, diminuir a inflação de preços. E isto aumenta a taxa de juros real (embora, em muitos casos, como nos EUA e na zona euro, ainda esteja negativa), o que tende a diminuir a demanda por ouro.  Porém, o WGC menciona que investidores de retalho têm comprado ouro devido a alta inflação de preços. Muitos investidores institucionais, por sua vez, crê que os bancos centrais conseguirão aumentar os juros sem gerar grandes complicações na economia e/ou no mercado financeiro. Porém, como mencionei em diversas ocasiões, o banco central dos EUA, o Banco Central Europeu e diversos outros estão em um beco sem saída, pois, devido a anos de política monetária expansionista (taxas de juro artificialmente baixas ou negativas e aumento da base monetária), as economias dos respetivos países estão fragilizadas e não sobrevivem a juros altos o suficiente para conter a inflação de preços nem a uma contração significativa da base monetária. Os bancos centrais têm de escolher: ou realmente diminuir a inflação de preços (mas levando as economias a uma recessão) ou, para evitar uma recessão profunda, voltar a realizar políticas monetárias expansionistas, o que, na melhor das hipóteses, aumenta significativamente apenas a base monetária (gerando mais má alocações de recursos e enfraquecendo ainda mais a economia a médio e longo prazo), e, na pior das hipóteses, também leva a um aumento significativo dos agregados monetários M1 e M2 (que incluem o dinheiro que circula na economia, o que realmente faz pressão na inflação de preços). O banco central do Reino Unido, por exemplo, já voltou a expandir seu balanço para impedir o colapso dos fundos de pensões (que estavam alavancados justamente devido a anos de expansão do balanço do banco central e taxas de juro artificialmente baixas, fatores que incentivam a alavancagem em todo o mercado financeiro).

 

Entre o 3º trimestre de 2021 e o 3º trimestre de 2022 houve uma queda de 8% da demanda de ouro por parte do setor de tecnologia, refletida, segundo o WGC, por uma diminuição da demanda dos consumidores por eletrónicos devido a crise económica global.

 

A demanda de ouro por partes dos bancos centrais, por sua vez, continua alta. No 3º trimestre de 2022, os bancos centrais adicionaram quase 400 toneladas de ouro às suas reservas.

 

A demanda de retalho na China (o maior consumidor de ouro do mundo) fortaleceu-se quando os lockdowns diminuíram. Os consumidores de joias foram beneficiados por uma retração do preço do ouro. E os investidores de retalho foram encorajados pelo apelo do ouro como porto seguro em meio à depreciação do yuan e à queda dos preços das ações chinesas.

 

A oferta total de ouro aumentou marginalmente (+1% em relação ao 3º trimestre de 2021), atingindo 1215 toneladas. Segundo o WGC, um sexto trimestre consecutivo de crescimento anual da produção das mineradoras foi parcialmente compensado por níveis mais baixos de reciclagem.

 

 

André Marques

Etiquetas :

Sem categoria

Partilhar :

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *