O relatório de notícias do Silver Institute de agosto de 2020 trouxe informações sobre umapesquisadores da Universidade de Pittsburgh, que estão a estudar apossibilidade de a prata matar a bactéria que provoca a ‘Doença dosLegionários’. Além disto, houve informações sobre um novo ingrediente ativo de nanoprataque age como um conservante de materiais.


– Universidade de Pittsburgh Estuda Como aPrata Pode Matar a Bactéria que Provoca a ‘Doença dos Legionários’


A US National Science Foundation concedeu US$330 mil a uma equipe de pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, na Pensilvânia,para uma pesquisa a fim de examinar o efeito que a prata (embutida em chuveiros)tem na desinfeção da água. Enquanto muitas instalações, incluindo hospitais, instalaramsistemas de filtragem de água à base de prata para prevenir doenças, osgerentes das instalações e as autoridades de saúde estão preocupados com apossibilidade de os canos de água deixados sem uso e sem descarga durante ofechamento de edifícios devido à pandemia de coronavírus tenham se tornado umaárea de reprodução de bactérias perigosas. Longos trechos de estagnação podemresultar em produtos químicos desinfetantes baixos ou inexistentes na água doedifício que podem criar um ambiente de crescimento ideal para muitosmicróbios, observaram os pesquisadores.


Uma bactéria fatal em particular, a Legionellapneumophila, conhecida por causar a doença respiratória mortal conhecida comoDoença dos Legionários, habita tubulações e tanques de água, especialmente emedifícios mais antigos ou edifícios que não têm um cronograma regular dedescarga ou uso contínuo.


As bactérias podem se espalhar pelo arsimplesmente abrindo uma torneira ou dando descarga no vaso sanitário.


Sarah Haig, professora assistente deengenharia civil e ambiental da Universidade de Pittsburgh, disse:“Normalmente, a água potável que entra nos edifícios contém um resíduodesinfetante, como cloro, para ajudar a prevenir e reduzir o crescimentomicrobiano. No entanto, mudanças na química da água, nas instalações e naoperação do edifício, como os longos períodos sem uso de água (estagnação)observados recentemente em todo o mundo durante a pandemia do COVID-19, terãoconsequências inesperadas na qualidade da água do edifício”.


“As condições nos sistemas de água de cerca de50% dos grandes edifícios promovem o crescimento e a disseminação daLegionella. Infeções fatais ocorrem a uma taxa de até 30% em hospitais e 10% nacomunidade”, acrescentou Janet E. Stout, presidente do Laboratório de PatógenosEspeciais da Universidade e especialista amplamente conhecida em Doença dosLegionários.


– Agência Reguladora Ambiental dos EUA RegistaNovo Ingrediente Ativo de Nanoprata Como Conservante de Materiais


A US Environmental Protection Agency (EPA)registou o NSPW Nanosilver, um novo ingrediente ativo à base de prata que ajudaa suprimir bactérias causadoras de odor e algas, fungos, mofo e bolor que podemcausar deterioração ou manchas em tecidos.


NSPW Nanosilver é encontrado no produto pesticidaPolyguard NSPW Master Batch (também conhecido como Polyguard), que éincorporado dentro de grânulos ou pellets de plástico. Estas contas são feitasde material semelhante ao nylon ou poliéster que são incorporados/infundidos emtêxteis através de um processo de fabricação de circuito fechado chamadoextrusão. Uma vez introduzidos no processo, nenhum grânulo ou pellet podeescapar para o meio ambiente, de segundo os funcionários da EPA.


Com base na avaliação de risco ecológico e desaúde humana da EPA, a agência determinou que o novo ingrediente ativo, NSPWNanosilver, atende ao padrão regulatório da Lei Federal de Inseticidas,Fungicidas e Rodenticidas (The Federal Insecticide, Fungicide, and RodenticideAct – FIFRA), que estabeleceu um sistema de regulação de pesticidas.


A declaração de registo da EPA pode serencontrada aqui.



André Marques