Bancos centrais,supostamente, servem para manter a estabilidade do poder de compra da moeda.Porém, como já mencionado aqui, aqui e aquiosbancos centrais geram inflação (aumento da oferta monetária) e desvalorizam amoeda ao longo do tempo (no mínimo, impedem que haja uma deflação de preços, oque seria benéfico a economia como um todo). Os bancos centrais também geram ascrises financeiras e os ciclos económicos.


Porém, outrasuposta função dos bancos centrais é a regulação de instituições financeiras.Isto dá um enorme controlo sobre as fortunas destas diversas instituições. Alémdisto, a política monetária dos bancos centrais, através da expansão da base monetária,eleva o preço de ativos financeiros (que estas próprias instituiçõesfinanceiras possuem em seus balanços), como ações e títulos de dívida (públicose privados), e diminui a taxa de juros. Assim, o governo se beneficia (poispassa a se endividar mais devido ao custo mais baixo) e as instituiçõesfinanceiras podem seguir alavancando suas operações sem grandes riscos (pois apolítica monetária do banco central faz com que seus ativos se valorizem,independentemente do seu grau de risco). É um arranjo com elevado risco moral.


O banco central,um agente que possui monopólio sobre a impressão de moeda (que é de cursoforçado) também regula instituições financeiras, que, assim como o governo, sãobeneficiadas pela política monetária. Será que este arranjo realmente funciona?As informações supracitadas já deveriam ser mais suficientes para que qualquerpessoa que as lesse já soubesse a resposta. Porém, se não for o suficiente, eisalgumas informações recentes que podem ser úteis à compreensão:


O presidente doFed, Jerome Powell, decidiu que o Fed deveria “revisar” suas políticas de éticadepois que foi revelado que altos funcionários do Fed estavam ativamente a negociarações, mesmo quando o Fed estava a realizar sua política monetária. Como mencionou a CNBC: “…Jerome Powell orientou a equipe a revisar as regras deética do banco central para as atividades financeiras apropriadas após adivulgação de que vários funcionários seniores do banco central fizeram váriasnegociações de ações multimilionárias em 2020, enquanto outros detinhaminvestimentos significativos…. Na semana passada, as divulgações financeirasapresentadas pelos 12 presidentes regionais do Fed revelaram que alguns haviamnegociado ativamente em 2020, enquanto outros detinham posições financeiras demilhões de dólares sem fazer alterações em suas carteiras.”


O próprio Powell detinhaentre US$ 1.25 milhão e US$ 2.5 milhões em títulos municipais. Embora os títulos tenham sido compradosantes de 2019, foram mantidos enquanto o Fed comprava, no ano passado, mais deUS$ 5 mil milhões/bilhões em títulos municipais, o que os valorizou.


O presidente doFed de Boston, Eric Rosengren, detinha entre US$ 151 mil e US$ 800 mil emfundos de investimento imobiliário que possuíam Mortgage-Backed Securities -MBS (títulos lastreados em hipotecas). Ele fez até 37 negociações separadas emquatro fundos de investimento imobiliário, enquanto o Fed comprava quase US$700 mil milhões/bilhões em MBS’s.


O presidente doFed de Richmond, Thomas Barkin, detinha de US$ 1.35 milhão a US$ 3 milhões emtítulos corporativos adquiridos antes de 2020. Inclusos estavam títulos daPepsi, Home Depot e Eli Lilly. Em 2020, o Fed abriu um mecanismo de compra detítulos corporativos, um Special Purpose Vehicle – SPV (um fundo deinvestimento para o qual o Tesouro fornece capital e para o qual o Fed emprestadinheiro. Ou seja, o Fed não compra diretamente nenhum ativo, apenas emprestadinheiro ao SPV (até 10 vezes o valor investido pelo Tesouro) e comprou títuloscorporativos e ETF’s compostos por títulos corporativos (ver aqui e aqui). Este mecanismo foi criado pois oFederal Reserve Act não permite que o Fed compre títulos corporativos.


E o presidente doFed de Dallas, Robert Kaplan, fez vários tradings no valor de US$ 1 milhão oumais no ano passado.


Portanto, existeum risco moral por parte dos próprios diretores do Fed (e dos da maioria dos bancoscentrais). A compra de ativos pelo banco central aumenta a desigualdadeeconómica pois sobrevaloriza ativos financeiros (que são detidos, em maiorvolume, por pessoas mais ricas) e diminui as taxas de juro (fazendo com queinvestimentos menos arriscados, como uma simples poupança, renda pouco ou gereprejuízos em termos reais). Assim, pessoa com menos rendimento não conseguem gerarpatrimónio, pois o pouco que têm para poupar (quando o têm) não irá gerar umretorno significativo sem recorrer a investimentos mais arriscados. Além disto, preços de imóveis ficam mais altos devido às políticas monetárias dos bancoscentrais.E o imóvel (seja arrendado/alugado ou financiado) é uma parte enorme dasdespesas de pessoas de menor rendimento. Além disto, os preços mais altos dosimóveis impede cada vez mais o financiamento por parte deste indivíduos poistêm de dar uma entrada (downpayment) maior, impedindo-os de o fazer (ou, namelhor das hipóteses, atrasando este momento, pois terão de poupar por maistempo, além de demorarem mais para quitar o empréstimo).


Os governos,através dos bancos centrais, enriquecem Wall Street (a economia financeira) emdetrimento de Main Street (a economia real). E os próprios membros do bancocentral também são beneficiados pelo arranjo.



André Marques