O relatório de notícias do Silver Institute de fevereiro de 2022 trouxe informações sobre um novo método a lazer que aumenta o uso de nanofiosde prata e uma descoberta histórica a respeito de tubos de prata de 5 mil anos.


– Novo Método a Laser Expande o Uso de Nanofiosde Prata


Os nanofios de prata estão rapidamente atornarem-se um componente comum de muitos dispositivos eletrónicos de consumo,desde smartphones a ‘vestíveis’ que monitoram os sinais vitais de um usuário.No entanto, embora a prata ofereça a mais alta condutividade em relação a qualquermetal, quando é levada ao tamanho nano, os fios podem apresentar resistênciaquando produzidos por um método comum que emprega lasers.


O método, conhecido como escrita direta alaser de femtossegundo (femtosecond laser direct writing – FsLDW), usa laserspara construir nanofios e é valorizado por sua capacidade de construir fiostridimensionais (outros métodos produzem fios planos) que, por sua vez, dãomais flexibilidade. Como os nanofios são frequentemente usados como parte dedispositivos dobráveis (como sensores corporais) fazer nanofios mais flexíveisé uma grande vantagem.


Porém, a técnica do laser tem uma grandedesvantagem: produz nanofios conectando nanopartículas, mas ao mesmo tempodeixa espaços nanométricos entre as partículas, o que causa resistênciaelétrica. Para combater isto, um grupo de engenheiros do Institute of PhotonicsTechnology of Jinan University (China) e do Institute of Physics andChemistry, Chinese Academy of Sciences propôs um método de nanosoldagem a laseraprimorado por plasmon que se baseia em um laser que oscila em uma frequênciamuito diferente. Esta técnica de laser aprimorada “suaviza” o nanofio e ajuda aeliminar as lacunas que causam o aumento da resistência elétrica.


Este novo método permitirá o aumento do uso denanofios de prata em dispositivos futuros, escreveram os engenheiros na revista Opto-Electronics Advances,pois “fornece uma técnica eficiente e económica para produzir rapidamenteeletrodos e capacitores de nanofios metálicos de grande área com altacondutividade, excelente uniformidade e boa flexibilidade.”


– Os Tubos de Prata de 5 Mil Anos eram RealmenteCanudos?


À medida que o mundo reconsidera o impactoambiental dos canudos de plástico descartáveis, os arqueólogos estão agora arepensar o propósito dos tubos de prata e ouro de 5 mil anos expostos em ummuseu russo. Especialistas já pensaram que os tubos eram bastões cerimoniais ousuportes de dossel, mas podem ter sido canudos reutilizáveis.


Uma equipe liderada por Viktor Trifonov, da RussianAcademy of Sciences em SãoPetersburgo, acredita que os tubos finos de oito metros de comprimento,escavados de um túmulo em 1897 no que hoje é a Armênia, foram usados pelacultura Maikop para bebidas de cerveja cerimoniais através de um recipiente comunal.Quatro dos canudos têm figuras de touro de prata ou ouro que podem se moverpara cima e para baixo nos tubos.


Escrevendo na revista Antiquity, Trifonov e sua equipa observaram: “Se estiverem corretos, estes objetosrepresentam a primeira evidência material de beber através de longos tubos –uma prática que se tornou comum durante as festas no terceiro e segundo miléniosaC no antigo Oriente Próximo.”


Figura 1 – Esta Reconstrução Mostra Como as Pessoasda Idade do Bronze Podem ter Usado Canudos de Prata para Beber de um RecipienteComunal


Fonte: Silver Institute.


Os cientistas baseiam sua teoria na descobertade vestígios de amido de cevada e cereais de plantas domesticadas e grãos depólen de uma tília, que podem ser ingredientes da cerveja. A teoria é reforçadapor evidências de que a fabricação de cerveja começou há pelo menos 13 mil anosno Médio Oriente e se espalhou pelo mundo a partir daí. Comprimidos de argilaencontrados no Iraque e no Irã, datados de cerca de 7 mil anos atrás, mostrampessoas bebendo com canudos de um vaso comunitário.



André Marques