O Banco de Portugal publicou dados sobre o endividamento do setor nãofinanceiro em Portugal, que sofreu um aumento de 3.2mil milhões de euros em janeiro de 2022 em relação a dezembro de 2021,atingindo 771.3 mil milhões de euros. O setor não financeiro engloba os setoresinstitucionais das administrações públicas, empresas (sociedades nãofinanceiras) e particulares (famílias e instituições sem fim lucrativo aoserviço das famílias).


O endividamento do setor público(administrações públicas e empresas públicas) aumentou 2.1 mil milhões deeuros, atingindo 346.2 mil milhões de euros. Destaca-se o crescimento doendividamento perante o exterior e o setor financeiro (1.7 e 1.3 mil milhões deeuros, respetivamente), que foi parcialmente compensado pela diminuição doendividamento junto das próprias administrações públicas (1 mil milhões deeuros).


O endividamento do setor privado (empresasprivadas e particulares) aumentou 1.1 mil milhões de euros, atingindo 425 mil milhõesde euros. O endividamento das empresas privadas aumentou 800 milhões de euros,sobretudo junto do exterior (900 milhões de euros). O endividamento dosparticulares subiu 200 milhões de euros, principalmente junto do setorfinanceiro.


Figura 1 – Endividamento do Setor nãoFinanceiro por Setor Devedor, em Milhões de Euros (JAN 2021-JAN 2022)


Fonte: Banco de Portugal.


Em janeiro de 2022, o endividamento dasempresas privadas aumentou 5.3% em relação a janeiro de 2021, o quecorrespondeu a uma aceleração de 1.1% em relação ao mês anterior.


Figura 2 – Taxa de Variação Anual doEndividamento das Empresas Privadas (2017-2022)


Fonte: Banco de Portugal.


Já o endividamento dos particulares sofreu umaumento anual de 3.9% em janeiro de 2022 em relação a janeiro de 2021 e umaumento de mais 0.3% em janeiro de 2022 em relação a dezembro 2021.


Figura 3 – Taxa de Variação Anual doEndividamento dos Particulares (2017-2022)


Fonte: Banco de Portugal.



André Marques