Fale Connosco

+351 255 214 495

Registo / Login

Emissões de Títulos em Portugal | Junho de 2022

O Banco de Portugal publicou os dados de junho de 2022 sobre as emissões e amortizações de títulos em Portugal. Quando as emissões de títulos são maiores do que as amortizações, significa que o endividamento presente no país (no setor público e/ou no privado) aumenta.

Em junho, as emissões de títulos deduzidas das amortizações totalizaram € 1.8 mil milhões, dos quais € 1.5 mil milhões referentes a títulos de dívida e € 300 milhões a ações.

Figura 1 – Títulos Emitidos, por Instrumento |Emissões Deduzidas de Amortizações, em Milhões de Euros

Fonte: Banco de Portugal.

O setor financeiro foi o que mais contribuiu para este resultado, com as emissões de títulos a excederem as amortizações em € 1.5 mil milhões. As administrações públicas também emitiram títulos que excederam as amortizações, em € 500 milhões. Pelo contrário, as empresas não financeiras amortizaram títulos num montante superior às emissões em € 300 milhões.

Figura 2 – Títulos Emitidos, por Setor Institucional | Emissões Deduzidas de Amortizações, em Milhões de Euros

Fonte: Banco de Portugal.

No final de junho de 2022, o valor total de títulos emitidos por entidades residentes era de € 481.9 mil milhões (figura 3 – linha azul), € 3.6 mil milhões a menos do que no mês anterior). Para esta redução contribuíram as desvalorizações ocorridas em junho, que mais do que compensaram o valor positivo registado nas emissões deduzidas de amortizações. Nesse mês, os títulos de dívida emitidos por administrações públicas (figura 4 – linha azul) e as ações emitidas por empresas não financeiras e pelo setor financeiro (figura 3 – linha marrom claro) desvalorizaram-se em € 2.9 mil milhões e € 1.7 mil milhões, respetivamente.

Figura 3 – Títulos Emitidos, por Tipo de Instrumento | Valor em Fim de Mês, em Milhões de Euros

Fonte: Banco de Portugal.

Figura 4 – Títulos Emitidos, por Setor Institucional | Valor em Fim de Mês, em Milhões de Euros

Fonte: Banco de Portugal.

No final de junho, estavam previstas, para os 12 meses seguintes, amortizações de € 39.6 mil milhões (13.3% dos € 296.9 mil milhões de títulos de dívida vivos naquela data).

Destacavam-se as administrações públicas (com amortizações de € 8.8 mil milhões calendarizadas para outubro de 2022), o setor financeiro (com amortizações de € 3.5 mil milhões previstas para julho de 2022) e as empresas não financeiras (com € 2.8 mil milhões de amortizações previstas também para julho de 2022).

As amortizações previstas no caso das empresas não financeiras correspondiam, sobretudo, a papel comercial (um instrumento de financiamento de curto prazo muito utilizado pelas empresas portuguesas e que é habitualmente objeto de renovação, isto é, de amortização acompanhada de nova emissão, igualmente de curto prazo). Por isso, afirma o Banco de Portugal, é previsível que se registe sistematicamente um valor elevado de amortizações calendarizadas para os 30 dias após o fim do mês.

Figura 5 – Amortizações Calendarizadas de Títulos de Dívida, Em Milhões de Euros

Fonte: Banco de Portugal.

 

André Marques

Etiquetas :

Sem categoria

Partilhar :

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.