Fale Connosco

+351 255 214 495

Registo

Emissões de Títulos em Portugal | Dezembro de 2021



O Banco de Portugal publicou, na semana passada, os dados de dezembro de 2021 sobre as emissões eamortizações de títulos em Portugal.


Em dezembro de 2021, as emissões de títulosexcederam as amortizações em 2.5 mil milhões de euros. As emissões de títulosde capital (ações) superaram as amortizações em 3.1 mil milhões. Nos títulos dedívida, por sua vez, as amortizações foram superiores às emissões em 600 milhõesde euros.


Em todo o ano de 2021, as emissões de títulosexcederam (pelo sexto ano consecutivo) as amortizações em 8 mil milhões deeuros. Nas ações, as emissões superaram as amortizações em 7 mil milhões deeuros; nos títulos de dívida, em 1 mil milhão de euros.


Figura 1 – Títulos Emitidos, por Instrumento |Emissões Deduzidas de Amortizações, em Milhões de Euros (2019-2021)


Fonte: Banco de Portugal.


As sociedades não financeiras e as financeirasemitiram mais € 2.5 mil milhões e €29 milhões (respetivamente) em títulos doque amortizaram. Já as amortizações das administrações públicas ultrapassaramas emissões em 80 milhões de euros.


Em todo o ano de 2021, as emissões dassociedades não financeiras e das sociedades financeiras ultrapassaram asamortizações em 7.5 mil milhões de euros e em 2.8 mil milhões de euros,respetivamente. As administrações públicas, por sua vez, amortizaram mais 2.3mil milhões de euros em títulos do que emitiram.


Figura 2 – Títulos Emitidos, por SetorInstitucional | Emissões Deduzidas de Amortizações, em Milhões de Euros(2019-2021)


Fonte: Banco de Portugal.


Em dezembro de 2021, o valor total de títulosemitidos por entidades residentes em Portugal aumentou €100 milhões, para€489.5 mil milhões (figura 3). Este acréscimo deveu-se ao aumento de 2.5 milmilhões de euros dos títulos das sociedades não financeiras. O Valor das açõessofreu um aumento de €3 mil milhões em dezembro de 2021; o dos títulos dedívida, uma diminuição de € 2.1 mil milhões (figura 3).


O valor dos títulos de dívida pública diminuiu2.3 mil milhões de euros em dezembro de 2021 (figura 4 – Administração Pública).Já o valor dos títulos das sociedades não financeiras sofreu um aumento de €3.4 mil milhões; o das sociedades financeiras, uma diminuição de € 5 milhões(figura 4).


Durante o ano de 2021, o valor dos títulos dassociedades não financeiras aumentou 11.5 mil milhões de euros (figura 4), devido,em parte, à valorização das ações cotadas. Já o valor dos títulos emitidospelas administrações públicas diminuiu 9.7 mil milhões de euros em relação a2020 (figura 4). Deste valor, 7.3 mil milhões de euros corresponderam à desvalorizaçãode títulos de dívida.


Figura 3 – Títulos Emitidos, por Tipo deInstrumento | Valor Total em Fim de Mês, em Milhões de Euros (2019-2021)


Fonte: Banco de Portugal.


Figura 4 – Títulos Emitidos, por SetorInstitucional | Valor em Fim de Mês, em Milhões de Euros (2019-2021)


Fonte: Banco de Portugal.


Os setores de atividade económica com maiorpeso no stock de títulos emitidos pelas sociedades não financeiras eram, emdezembro de 2021, as sedes sociais, a eletricidade, gás e água, as indústriastransformadoras, o comércio e a construção. Estas cinco atividades económicas foramresponsáveis por 73.6% dos títulos emitidos por sociedades não financeiras.


Figura 5 – Títulos Emitidos por Sociedades nãoFinanceiras, por Principais Setores de Atividade Económica | Em milhões deeuros (Dezembro de 2021)


Fonte: Banco de Portugal.


O Banco de Portugal também afirma que, dototal de €308.5 mil milhões em títulos de dívida vivos no final de dezembro de2021, estavam previstas, para os 12 meses seguintes, amortizações de 13.8% (42.5mil milhões de euros).


Destacavam-se as administrações públicas, comamortizações de 9.4 mil milhões de euros calendarizadas para outubro de 2022, eas sociedades não financeiras, com amortizações de 4.3 mil milhões de euros emjaneiro de 2022. Este último valor corresponde, sobretudo, a papel comercial (uminstrumento de financiamento de curto prazo muito utilizado pelas empresasportuguesas e que é habitualmente objeto de renovação, isto é, de amortizaçãoacompanhada de nova emissão, igualmente de curto prazo). Por isto, é previsívelque se registe sistematicamente um valor elevado de amortizações calendarizadaspara os 30 dias após o fim do mês.


Figura 6 – Amortizações Calendarizadas deTítulos de Dívida, Em Milhões de Euros


Fonte: Banco de Portugal.



André Marques

Etiquetas :

Sem categoria

Partilhar :

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *