Fale Connosco

+351 255 214 495

Registo / Login

Diferenças entre ETF’s de Ouro e Ouro Físico



Os ETF’s(Exchange Traded Funds) são instrumentos financeiros muito utilizados queenvolvem diversos ativos, como ações, títulos de dívida e o próprio ouro. E osETF’s de ouro são uma grande fonte de demanda do metal (ver aqui e aqui). Neste artigo, pretendemos explicar asdiferenças entre investir em ouro físico e em ETF’s de Ouro.


Para isto,primeiramente explicaremos, brevemente, o que são fundos de investimento.Depois, o que são os ETF’s e como funcionam os ETF’s de ouro. A seguir,falaremos brevemente sobre investimento em ouro físico. E, para finalizar,explicamos as diferenças entre investir em ouro físico e em ETF’s de ouro.


1- O que são osFundos de Investimento




Fundos deInvestimento são veículos de investimento nos quais são alocados diversos tiposde ativos. Geralmente, tentam ultrapassar um benchmark (por exemplo, um índicede uma bolsa de valores, como o PSI20, IBOVESPA, S&P 500, Nasdaq Composite,entre outros).


O investidoradquire cotas do fundo e deve pagar uma taxa de administração (devido àalocação dos ativos feita pelos gestores do fundo, que devem analisar estesativos para decidir em quais devem alocar, em que proporção, e por quantotempo). Cada fundo contém sua estratégia, objetivos e um determinado grau derisco (baseado no grau de risco dos ativos que contidos no fundo). Os fundos deinvestimento possuem a vantagem de que o investidor não precisa dedicar muitotempo para analisar os ativos e geri-los, pois isto é feito pelos gestores.Porém, há a desvantagem do pagamento de taxas e da dependência das decisões dofundo. Além disto, o investidor deve ter o mínimo de conhecimento para poder escolhero fundo mais adequado à sua tolerância ao risco e ao objetivo que pretendeatingir com o fundo. Cada investidor deve, baseado na sua situação, nos seusconhecimentos e o no tempo que possui, decidir se é melhor (para si) que elemesmo faça a alocação de seus investimentos ou que invista em fundos. Claro,nada impede que o investidor opte por ambas as opções, para caso tenhacondições de investir sozinho, mas tenha interesse em alguns fundos específicos.

    

Em relação aostipos de ativos que são alocados, existem diversos tipos de fundos deinvestimento, como:


– Fundos deAções: Nestes fundos, a maior parte dos ativos alocados são ações. Podem seguirum índice ou haver uma alocação mais específica, com uma determinadaestratégia. Para saber mais detalhes sobre fundos de ações, veja aqui, aqui e aqui.


– Fundos de RendaFixa: Formados por ativos de renda fixa. Ou seja, são formados, sobretudo, portítulos de dívida do governo e/ou de empresas (obrigações deempresas/debêntures). Pra saber mais sobre fundos de renda fixa, clique aqui.


– FundosImobiliários: Formados por Investimentos imobiliários (residenciais,comerciais, balcões logísticos, etc). Estes fundos são boas alternativas para adiversificação nos investimentos imobiliários. Para saber mais sobre fundosimobiliários, veja aqui, aqui e aqui.


– FundosMultimercado (Mistos): Formados pelos diversos tipos de ativos (ações, rendafixa, metais preciosos, derivados, ETF’s, etc). Possuem uma política deaplicação mais livre e diversa. Para saber mais, clique aqui, aqui e aqui.


– Hedge Funds:Possuem estratégias mais sofisticadas (podendo usar day trade, opções, etc), maioresretornos (porém, maior risco), e aplicação mínima mais elevada. Em muitoscasos, são restritos a investidores qualificados – que são registados na CMVM (Comissãodo Mercado de Valores Mobiliários), e, no caso de pessoas singulares, devem(entre outros fatores) possuir um valor de aplicaçõesfinanceiras superior a 500 mil euros. No Brasil, os investidores qualificados estãodentro das normas da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e devem possuir nomínimo 1 milhão de reais em aplicações financeiras. Para saber mais sobre hedge funds,clique aqui.

– Fundos deFundos: São fundos que investem em outros fundos, ou seja, aplicam em quotas deoutros fundos. Possuem fácil diversificação (porém, têm mais custos, já que háas taxas de administração do próprio fundo de fundos e as taxas dos fundos nosquais investe). Para saber mais, clique aqui.


Nota: existemtambém fundos de ouro (Atenção! Não são ETF’s de ouro. Ainda iremos explicar oque estes são mais abaixo), que investem, por exemplo, em ações de mineradorase em ETF’s de ouro.


1.1 – Fundos deOuro


Possuem alocaçãoem ouro e em ativos relacionados ao metal (ETF’s de ouro, ações de mineradoras,etc).


Exemplos:


– Euro Pac GoldFund: Gerido pela Euro Pacific Asset Management, possui alocação em ações de mineradoras e ETF’sde metais. Veja detalhes aqui.


– CrescatPrecious Metals Fund: Hedge fund (apenas para investidores qualificados)gerenciado pela Crescat Capital. Possui alocação em ações de mineradorasde ouro e prata. Veja detalhes aqui

 

– Órama OuroFim: Fundo brasileiro fundado em 2012 e gerido pela Órama Gestão de Recursos. Tem o objetivo de acompanhar a variação do preço do ouro na BM&F. Opreço do ouro no Brasil é formado pela cotação do ouro no mercado internacionale do dólar (portanto, o desempenho do Fundo depende da variação destes doisativos). Veja detalhes aqui.

 

2- O que são osETF’s


Compreendido obásico do que são fundos de investimentos, pode-se compreender mais facilmenteo que são os ETF’s (Exchange Traded Funds), que são fundos listados em bolsa ecujas cotações variam ao longo do dia. Buscam acompanhar a performance de umíndice ou de um determinado ativo (ou conjunto de ativos). Possuem, portanto,uma gestão passiva e por isto devem ter baixa taxa de administração (já que osgestores não fazer uma alocação específica de recursos, apenas investem nosativos contidos no índice ou no ativo que o ETF procura seguir).


Alguns exemplosde ETF’s são o BOVA11 (que replica o IBOVESPA) , Lyxor PSI 20 (que replica oPSI 20) , SHOT11 (que replica o S&P KENSHO Moonshots) e EWZ (que busca replicar o MSCI Brazil25/50 Index, composto por ações brasileiras).


2.1- ETF’s deOuro



Os ETF’s de ourobuscam replicar o spot price do ouro. Dependo da cotação do ETF, os gestoresdevem comprar ou vender barras para manter a cotação próxima ao spot price.


Através dos ETF’sde ouro, o investidor NÃO possui propriedade sobre o metal.


Além disto, existeum risco de contraparte: a liquidez necessária para a compra e venda dos metaispelos ETF’s é fornecida por “participantes autorizados” (Goldman Sachs, MorganStanley, JPMorgan Chase, and Merrill Lynch, etc). Portanto, a liquidez édependente da solvência destas instituições.


Veja algunsexemplos de ETF’s de ouro:


– GLD (SPDR GoldShares)


É o principal ETFde ouro no mercado. Fundado em 2004, busca replicar o spot price do ouro, sendolastreado por barras de 400 onças (armazenadas em um cofre do HSBC em Londres)e cash. É listado na NYSE e gerenciado pela State Street Global Advisors.


Cada cota énegociada a 1/10 do spot price do ouro. Possui taxa de administração de 0.4% aoano.


O resgate dometal é LIMITADO a: participantes autorizados e a investidores que possuem, nomínimo, 100 mil cotas. Porém, o GLD tem a opção de pagar este resgate em cash.


Para saber mais,clique aqui.


– GDX (Market VectorsGold Miners ETF) e GDXJ (VanEck Junior Gold Miners ETF)


Fundado em 2006 egerenciado pela VanEck, o GDX investe em ações das maioresmineradoras de ouro do mundo. Busca replicar o NYSE Arca Gold Miners Index(GDMNTR). Uma vez que as mineradoras de ouro devem obter lucros maiores se ovalor do ouro aumentar, os preços das ações dessas empresas são fortementeafetados pelas mudanças no preço do ouro (e, portanto, o GDX se valoriza). Possuiuma taxa de administração anual de 0.5%. Veja detalhes aqui.

Já o GDXJ(fundado em 2009 e também gerenciado pela VanEck) busca replicar o MVIS GlobalJunior Gold Miners Index (MVGDXJTR), que inclui mineradoras de ouro e prata demenor capitalização de mercado. Possui uma taxa de administração anual de 0.5%.Veja detalhes aqui.


O GDX e oGDXJ são mais voláteis do que o GLD. Já que este apenas segue o spot price doouro e aqueles são formados por ações de mineradoras (cujas cotações são maisvoláteis), o GDX e o GDXJ oscilam muito mais do que o GLD:


Figura 1 – GLD, GDX e GDXJ (2015-2021)


GLD (Linha Azul);GDX (Linha Laranja); GDXJ (Linha Verde).

Fonte: TradingView – Elaboração Própria.


– IAU (iSharesGold Trust)


Fundado em 2005,busca acompanhar o spot price do ouro. É Listado na NYSE e gerido pela BlackRock.

Possui uma taxade administração de 0.25% ao ano e valor de mercado menor que o do GLD. Parasaber mais, clique aqui.


– GOLD11


ETF de ourobrasileiro fundado em dezembro de 2020. Também busca acompanhar o spot price doouro.

É listado na B3 egerido pela XP Investimentos. Possui uma taxa de administração de0.3% ao ano. Para saber mais, clique aqui.


3- Investimentoem Ouro Físico




O investimento emouro físico é feito principalmente através da compra de barras e moedas. Oinvestidor pode realizar uma custódia própria ou por terceiros.


Existem também contratosà vista, que permitem a retirada de ouro físico numa data pré-estabelecida.


Na maioria doscasos, a compra de ouro físico inclui impostos (no caso de Portugal, o IVA).Nota: Através da Elementum, a compra de ouro é ISENTA de IVA).


Barras são maisadequadas (em relação a moedas) para o investidor que busca uma reserva devalor pois têm menor custo de produção.


4- Ouro Físico vsETF’s de Ouro


Compreendido oque são os ETF’s de ouro e o investimento em ouro físico, vejamos as principaisdiferenças entre as duas modalidades:


1 – Através dosETF’s o investidor não possui propriedade sobre o metal; na compra de ourofísico, o investidor é proprietário (custódia própria ou por terceiros).


2 – ETF’s têmcustos de administração (que são acumulados ao longo dos anos) e a comissão dacorretora; na compra de ouro físico há apenas o custo do ágio e impostos (sehouver), mas nada acumulativo. No caso de custódia por terceiros, há custos dearmazenamento (porém, ao contrário de ETF’s, o investidor é proprietário dometal).


3 – ETF’s possuemum maior risco de contraparte (“participantes autorizados”); no caso de ourofísico em custódia própria, não há risco de contraparte (no caso de custódiapor terceiros, o único risco de contraparte é o do cofre).


4 – Através doETF, não há propriedade sobre metal.


5 – Os ETF’spossuem bastante liquidez apenas em condições normais de mercado (em umasituação hipotética de crise e de altíssima desvalorização do dólar americano,os “participantes autorizados” podem ficar insolventes); o ouro físico possuigrande liquidez nos diversos cenários.

 

Conclusão


Ouro Físico émais adequado para a obtenção de uma reserva de valor e investimento a médio elongo prazo. É adequado para manter (ou aumentar, já que o ouro não éinflacionado) o poder de compra ao longo do tempo. Veja aqui como o padrão ouro aumentou o poder de compranos EUA no século XIX.


ETF’s de ouropodem ser úteis a investidores mais toleráveis ao risco (geralmente traders) oupara fundos de investimento mais sofisticados, como hedge funds. Os ETFs sãoótimos veículos para quem deseja especular sobre o preço do ouro em dólares emum curto período. Oferecem uma maneira rápida e fácil de entrar e sair de umaposição. Também são uma boa opção para quem já criou uma reserva de ouro físicoe deseja apenas negociar os movimentos de preços nos mercados de ouro.

 


ATENÇÃO! Asinformações a respeito das modalidades de investimento e produtos aquimencionados são de caráter exclusivamente INFORMATIVO e não devem serconsideradas como recomendações de compra ou venda.


 

André Marques

Etiquetas :

Sem categoria

Partilhar :

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.