Fale Connosco

+351 255 214 495

Registo

Custos Trabalhistas na Zona Euro Tiveram um Aumento Anual de 4% no 2º Trimestre de 2022

No 2º trimestre de 2022, os custos trabalhistas por hora, segundo a Eurostat, sofreram um aumento de 4% na zona euro e 4.4% na UE, em comparação ao 2º trimestre de 2021.

 

Quanto maiores são os custos de uma empresa (incluindo os custos trabalhistas), maiores tendem a ser os preços que a mesma cobra do consumidor final. Portanto, um aumento/diminuição dos custos trabalhistas representa uma tendência de aumento/diminuição dos preços ao consumidor. Além disto, maiores custos trabalhistas também geram desemprego (veja aqui e aqui).

 

Figura 1 – Custos Trabalhistas Nominais por Hora| Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior (2012-2022)

Zona Euro (Linha Vermelha); UE (Linha Azul).

Fonte: Eurostat.

 

Os dois principais componentes dos custos trabalhistas são wages & salaries (remunerações e salários) e non-wage costs (custos não salariais). Na zona euro, os custos com remunerações e salários por hora aumentaram 4.1% no 2º trimestre de 2022 em comparação ao 1º trimestre de 2021; os custos com a componente não salarial, 3.8%. Na UE, os custos com remunerações e salários por hora aumentaram 4.5% no 2º trimestre de 2022 em comparação ao 2º trimestre de 2021; os custos com a componente não salarial, 4.1%.

 

Figura 2 – Custos Trabalhistas nos Membros da UE| Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior

Euro Area (Zona Euro); EU (União Europeia –UE); Total (Custos Trabalhistas Totais); Wages (Remunerações e Salários); Other (Custos não Salariais); Q1 (1º Trimestre); Q2 (2º Trimestre); Q3 (3ºTrimestre); Q4 (4º Trimestre); : (Dados não Disponíveis).

Nota: Norway (Noruega) e Iceland (Islândia) não fazem parte da UE.

Fonte: Eurostat.

 

No 2º trimestre de 2022, em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior, os custos trabalhistas por hora na zona euro aumentaram 4.6% na economia (principalmente) não empresarial e 3.9% na economia empresarial: +2.2% na indústria, +2.8% na construção e +4.9% nos serviços. Na UE, os custos trabalhistas por hora aumentaram 4.2% na economia (principalmente) não empresarial e 4.4% na economia empresarial: +2.9% na indústria, +3.3% na construção e +5.3% nos serviços.

 

Nas figuras 3 e 4, o TOT (Total Labor Costs) inclui os custos salariais e não salariais menos os subsídios. Não inclui custos de treinamento ou outras despesas, como custos de recrutamento, gastos com roupas de trabalho, etc. O WAG (Wage and Salary Costs) inclui remuneração direta, bónus e subsídios pagos por um empregador a um empregado em troca de trabalho realizado, pagamentos a planos de poupança de empregados, pagamentos por dias não trabalhados e remuneração não monetária (como comida, bebida, combustível, carros da empresa, etc). Já o OTH (Non-Wage Costs) são custos trabalhistas excluindo remuneração e salários, que inclui as contribuições sociais dos empregadores mais os impostos sobre o trabalho considerados custos do trabalho menos os subsídios destinados a reembolsar parte ou a totalidade do custo da remuneração direta do empregador.

 

Figura 3 – Custos Trabalhistas por Hora para a Economia Empresarial e a Economia (Principalmente) não Empresarial nos Membros da UE | Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior

Euro Area (Zona Euro); EU (União Europeia –UE); Business Economy (Economia não Empresarial); Mainly Non-Business Economy (Economia principalmente não Empresarial); Q1 (1º Trimestre); Q2 (2º Trimestre); Q3 (3ºTrimestre); Q4 (4º Trimestre); : (Dados não Disponíveis).

Nota: Norway (Noruega) e Iceland (Islândia) não fazem parte da UE.

Fonte: Eurostat.

 

Figura 4 – Custos Trabalhistas por Hora para as Principais Áreas de Atividade Económica nos Membros da UE | Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior

Euro Area (Zona Euro); EU (União Europeia –UE); Industry (Indústria); Construction (Construção); Services (Serviços); Q1 (1º Trimestre); Q2 (2º Trimestre); Q3 (3º Trimestre); Q4 (4º Trimestre); : (Dados não Disponíveis); c (dados confidenciais).

Nota: Norway (Noruega) e Iceland (Islândia) não fazem parte da UE.

Fonte: Eurostat.

 

As atividades Económicas são divididas em (veja nas figuras 5 e 6):

 

B: Mining and Quarrying (Mineração e Serviços de Pedreiros);

C: Manufacturing (Fabricação);

D: Electricity, gas, steam and air conditioning supply (Fornecimento de eletricidade, gás, vapor e ar condicionado);

E: Water supply; sewerage, waste management and remediation activities (Abastecimento de água; esgoto, gestão de resíduos e atividades de remediação);

F: Construction (Construção);

G: Wholesale and retail trade; repair of motor vehicles and motorcycles (Comércio grossista e retalhista; reparação de veículos automóveis e motociclos);

H: Transportation and storage (Transporte e armazenamento);

I: Accommodation and food service activities (Atividades de hospedagem e alimentação);

J: Information and communication (Informação e Comunicação);

K: Financial and insurance activities (Atividades Financeiras e de Seguros);

L: Real estate activities (Atividades Imobiliárias);

M: Professional, scientific and technical activities (Atividades profissionais, científicas e técnicas);

N: Administrative and support service activities (Atividades administrativas e de serviços de apoio);

O: Public administration and defense; compulsory social security (Administração e defesa públicas; segurança social obrigatória);

P: Education (Educação);

Q: Human health and social work activities (Saúde humana e atividades de assistência social);

R: Arts, entertainment and recreation (Artes, entretenimento e recreação);

S: Other service activities (Outras atividades de serviço).

 

Na UE, as atividades económicas que registaram os maiores aumentos anuais dos custos com remunerações e salários por hora foram: B – Mineração e Serviços de Pedreiros (+6.9%), N – Atividades administrativas e de serviços de apoio (+6.6%), M – Atividades profissionais, científicas e técnicas (+6.3%) e I – Atividades de hospedagem e alimentação (+6%).

 

As atividades económicas com os maiores aumentos anuais na componente não salarial foram I – Atividades de hospedagem e alimentação (+41%) e R – Artes, entretenimento e recreação (+14.1%). A componente F (Construção) registou um decréscimo de 0.4%.

 

Figura 5 – Custos Trabalhistas Nominais por Hora para cada Área de Atividade Económica na UE | Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior (2º Trimestre de 2022)

Remunerações e Salários (Laranja); Custos não Salariais (Azul).

Fonte: Eurostat.

 

Figura 6 – Custos Trabalhistas por Hora para cada Área de Atividade Económica na UE | Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior

EU (União Europeia – UE); Total (Custos Trabalhistas Totais); Wages (Remunerações e Salários); Other (Custos não Salariais); Q1 (1º Trimestre); Q2 (2º Trimestre); Q3 (3º Trimestre); Q4 (4º Trimestre).

Fonte: Eurostat.

 

No 2º trimestre de 2022, em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior, os maiores aumentos dos custos de remunerações e salários por hora para toda a economia foram registrados na Hungria (+14.9%) e na Bulgária (+14.6%). Mais quatro membros da UE registaram um aumento superior a 10%, nomeadamente: Lituânia (+12.4%), Roménia (+11.7%), Polónia (+11.1%) e Estónia (+10.1%). Já o menor aumento foi registado na Grécia (+0.8%).

 

Figura 7 – Custos Nominais de Remunerações e Salários por Hora na UE | Mudança em % em Comparação ao Mesmo Trimestre do Ano Anterior (2º Trimestre de 2022)

Zona Euro (Vermelho); UE (Azul); Membros da UE (Verde); Noruega e Islândia (Laranja).

Fonte: Eurostat.

 

 

André Marques

Etiquetas :

Sem categoria

Partilhar :

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *