A demanda de ourochinesa recuperou-se acentuadamente no primeiro semestre de 2021, apósdespencar em 2020, de acordo com dados divulgados pela China Gold Association(CGA). A China é a maior consumidora de ourodo mundo, possuindo grande impacto na demanda global. O consumo de ouro chinês atingiu820.98 toneladas em 2020. Isto foi uma queda de 18.1% em relação ao nível de2019. Apesar disto, o investimento em moedas e barras cresceu 9.2%. Também deacordo com a CGA, a demanda industrial por ouro caiu 16,8% no ano passado.


Mas o mercado deouro se recuperou no primeiro semestre de 2021. A demanda subiu 69.2%, chegandoa pouco mais de 547 toneladas nos primeiros 6 meses do ano. O consumo anual deouro da China aumentou 93.9% apenas no primeiro trimestre. A demanda foi 4.49%acima dos níveis de 2019.


Com o aumento dademanda por ouro, as importações chinesas também voltaram aos níveis anterioresà pandemia. De acordo com o World Gold Council (WCG), a China importou 67.6toneladas de ouro em maio. Isso foi 65 toneladas a mais do que maio de 2020 eapenas três toneladas a menos do que maio de 2019.

Em abril, a China permitiu a importação de 150 toneladas de ouro.


A China também éo maior produtor de ouro do mundo, mas a produção das mineradoras caiu 3.91%, para365.35 toneladas no ano passado. A pandemia não foi a única perturbação. Oaumento das regulamentações ambientais do governo também atrapalhou a produçãodas mineradoras.


A demanda de ouro recuperou-se no primeiro semestre de 2021; a produção das mineradoraschinesas, não. A produção de ouro caiu 10.2%, para apenas 152.8 toneladas. Deacordo com o Global Times, os acidentes de trabalho interromperam a produção dasmineradoras de ouro na província Shandong, no leste da China.

André Marques